POLO TECNOLÓGICO DO OESTE CATARINENSE
Telefone: (49) 3324.4342 Email: deatec@deatec.org.br

NOTÍCIAS DO DEATEC

Fique por dentro de tudo que acontece no setor de TIC no oeste de Santa Catarina relacionado ao DEATEC

Turismo inteligente é o caminho para o crescimento do oeste catarinense

25/07/2018 10:35:23

As tendências da área de turismo foram foco do Seminário “Destino Turístico Inteligente na Prática – etapa Chapecó e Região”, realizado nessa segunda-feira (23), no Centro de Cultura e Eventos de Chapecó. A iniciativa atendeu as demandas dos empresários em relação à aproximação das cadeias de turismo e tecnologia para geração de oportunidades de novos negócios. Tudo isso, com valorização de soluções regionais e, consequentemente, a contribuição para o desenvolvimento da atividade econômica do turismo pautada nos pilares de destino inteligente.

O evento teve como promotores a Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina) e Sebrae/SC (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina). A realização regional contou com parceria da Prefeitura Municipal de Chapecó e Instância de Governança Grande Oeste. O apoio estratégico foi da Acate (Associação Catarinense de Tecnologia) e Deatec (Associação Polo Tecnológico Oeste Catarinense), além da parceria do Convention & Visitors Bureau de Chapecó e Região e de Concórdia, Instâncias de Governança Vale das Águas, Caminho da Fronteira, Vale do Contestado, Águas do Oeste Catarinense, Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Chapecó (Sihrbasc) e o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom).

O coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, reconheceu a importância das parcerias estratégicas para estruturação das ações na área do turismo. “O processo de construção dos destinos turísticos inteligentes na prática, a partir do modelo SEGITTUR-Espanha, preconiza os eixos da tecnologia, inovação, sustentabilidade e acessibilidade. A governança, o quinto eixo, tem o papel de conectar e promover o atendimento das demandas aproximando as empresas que podem desenvolver soluções para eliminação de gargalos do macro segmento”, observou.

O secretário de desenvolvimento econômico e turismo de Chapecó, Marcio Ernani Sander, enfatizou que o município planeja e é parceiro de ações que oportunizam fomentar esse segmento tão importante para o desenvolvimento da economia regional. Destacou conquistas históricas como o Parque da Efapi e outras mais recentes como o Centro de Cultura e Eventos, entre outras iniciativas que vem evoluindo a cada ano. “Chapecó tem esse diferencial pela harmonia existente entre o setor produtivo, o sistema S, a Associação dos Municípios do Oeste e as entidades empresariais, sociais e econômicas. Com essa integração somada à disposição das pessoas, caminhamos para proporcionar estrutura adequada e de qualidade à cidade e região”.

Representando as Instâncias de Governança (Caminhos da Fronteira, Vale das Águas,Vale do Contestado e Águas do Oeste Catarinense), Maria Bernadete Zanin, observou que o Estado de Santa Catarina é privilegiado pelas potencialidades naturais e salientou a importância de conectar cultura e tecnologia aos atrativos turísticos presentes no grande oeste.

Destinos turísticos inteligentes na prática

A programação contemplou a palestra “Destinos turísticos inteligentes na prática” com o consultor credenciado ao Sebrae/SC, Carlos Cappelini. Segundo ele, o intuito foi trazer conhecimento para a região e estimular que micro e pequenas empresas iniciem seu processo de reorganização dentro da metodologia do turismo inteligente. “Com isso, será possível promover aproximação entre as empresas de tecnologia e da cadeia produtiva do turismo para que as soluções possam ser criadas, visando atender as necessidades do setor”.

O modelo de turismo inteligente surgiu na Espanha e busca desenvolver, no território, o segmento com base em quatro eixos: tecnologia aplicada ao turismo, inovação aplicada ao turismo, estruturação do destino para atender todo tipo de público, ou seja, a questão da acessibilidade, além da sustentabilidade e da compreensão dos pilares ambiental, social e econômico.

Exemplificou algumas soluções adequadas ao território, como por exemplo, a difusão de wifi gratuita nos atrativos turísticos, até mesmo para estimular a promoção do próprio destino turístico. “Se for pensar nas empresas, elas não têm de forma geral uma boa presença digital e isso é um dos entraves para o crescimento da atividade turística. Então, desenvolver um site que atraia as pessoas, que permita a reserva ou a compra de produtos, que seja integrado às redes sociais, já é um grande start para o desenvolvimento de uma empresa inteligente”, assinalou o palestrante.

Para finalizar, observou que é fundamental as empresas perceberem que esse é um movimento que veio para ficar. “Hoje, cada vez mais, o principal meio para reserva e busca de informação é a presença digital e, quem não adotar essas soluções, será ultrapassado pelo concorrente”, alertou Cappelini.

A programação também incluiu apresentação dos cases regionais das Instâncias de Governança. O primeiro, denominado “Parceria Público e Privada: construindo o turismo de Irani” foi apresentado pelas representantes do Vale do Contestado, Neiva Salete Basso Zampieri e Leandra Camila Zenaro. Em seguida, Simone Leandra Tomazelli da Instância do Grande Oeste explanou o case de Passos Maia intitulado “Rota das Araucárias”. O caso de sucesso da “Rota dos Cânions” de Descanso foi apresentado por Anderson Cavasin, que representou a Instância Caminhos da Fronteira, seguido pela história de Quilombo “Rota Encantos Rurais” exposta pela representante do Vale das Águas, Cleusa Favaretto Molinett.

O evento encerrou com a dinâmica de Fishbowl, conduzida por Mário Agusto São Thiago. A programação foi uma ação do Programa de Desenvolvimento Industrial Catarinense – PDIC2022 – Rotas Estratégicas Setoriais para a Indústria Catarinense – Turismo, realizado pela Fiesc, Fecomércio e Sebrae/SC. Em Santa Catarina, o turismo é responsável por mais de 10% da geração de riquezas do Estado e tem grande potencial de crescimento e de dinamização da economia.